Apresentação

Gerar, disseminar e debater informações sobre ALIMENTOS PARA ESPORTISTAS, sob enfoque de Saúde Pública, é o objetivo principal deste Blog produzido no Laboratório de Vida Urbana, Consumo & Saúde - LabConsS da FF/UFRJ, com participação de alunos da disciplina “Química Bromatológica” e com apoio e monitoramento técnico dos bolsistas e egressos do Grupo PET-Programa de Educação Tutorial da SESu/MEC.

Recomenda-se que as postagens sejam lidas junto com os comentários a elas anexados, pois algumas são produzidas por estudantes em circunstâncias de treinamento e capacitação para atuação em Assuntos Regulatórios, enquanto outras envolvem poderosas influências de marketing, com alegações raramente comprovadas pela Ciencia. Esses equívocos, imprecisões e desvios ficam evidenciados nos comentários em anexo.

domingo, 13 de julho de 2008

O que deve conter no rótulo?



Análise do rótulo do suplemento alimentar Animal Tabs Way.
“Composição - Animal Tabs Way (100 tabs):

Informações Nutricionais
Porção: 8 tabletes
Conteúdo: 100 tabletes


Quantidade
por porção .............................................% IDR *

Valor Calórico 28 Kcal .............................. 1

Proteínas 6 g ............................................. 12

Carboidratos 1 g ....................................... 0

Gorduras Totais 0 g ................................. 0

Gorduras Saturadas 0 g ........................... 0

Gorduras Trans 0 g .................................. **

Fibra Alimentar 0 g ................................. 0

Sódio 34 mg .............................................. 1


* % Valore diários com base em uma dieta de 2000Kcal ou 8400Kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
** Não tem valor díário definido.
Ingredientes: Proteína do soro do leite concentrada (WPC), colágeno, lactose, amido de milho, carbonato de cálcio e dióxido de silício (antiumectantes).
Sugestão de Uso: Consumir 4 tabletes antes e 4 tabletes após os treinos ou segundo orientação do seu médico ou nutricionista”.
De acordo com a portaria nº 222, de março de 1998, sua composição deve conter um mínimo de 65% de proteína de qualidade nutricional, a adição de vitaminas e / ou minerais é opcional. O painel principal da rotulagem deve conter a classificação do alimento e os demais painéis devem constar a recomendação em destaque e negrito: "Crianças, gestantes, idosos e portadores de qualquer enfermidade devem consultar o médico e ou nutricionista". Ficam proibidas expressões tais como "anabolizantes", "body building", "hipertrofia muscular", "queima de gorduras", "fat burners", "aumento da capacidade sexual", ou equivalentes.
Portanto este produto se enquadra nas normas da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) dentro da classificação de “ Alimentos protéicos para praticantes de atividade física”, possuindo o registro do Ministério da Saúde.


Referências Bibliográficas:


  • PORTARIA N º 222, DE 24 DE MARÇO DE 1998 - ANVISA

Daniele Fraga Sant´Ana e Jacqueline Serzedello de Souza

4 comentários:

nanda disse...

Apesar de ser esportista nunca fiz uso destes produtos. Porém conheço pessoas que fazem. Um dos produtos utilizados é a base de carnitina. No corpo a carnitina é um carreador de ácido graxo levando-o para dentro da célula que irá então degradá-lo. Teoricamente aumentando a quantidade de carnitina mais ácido graxo seria degradado. Porém se não aumentar a quantidade de transportadores na membrana não adianta ter ácido graxo ligado a carnitina, e isso acredito eu, o produto não é capaz de fazer. Vocês leram alguma coisa sobre isso?
Eu não confio muito na veracidade destes produtos. Acho que devia existir um controle maior por parte das autoridades exigindo a comprovação da eficácia e estudos clínicos e toxicológicos. Evitando assim que pessoas leigas possam ser iludidas.
Fernanda Valle

Tarcísio Nery disse...

O que lembro da carnitina, é que ela está em excesso no organismo naturalmente, e que uma injestão ainda maior somente irá enriquecer a urina do "atleta". Não adianta ter excesso do carreador de ácido graxo se o maquinário enzimático da metaboliação destes já se encontram na "velocidade 5".

Anônimo disse...

a suplementação com carnitina só vai aumentar a "queima de gordura" se o indivíduo tiver uma deficiencia dessa substancia no organismo, funcionando como um medicamento. Do contrário, a limitação na velocidade da queima de gordura vai ser limitada pela beta oxidação e esta, por sua vez é regulada por diversos fatores que se relacionam a outras vias metabolicas, como quantidade de atp, de aceti-CoA, fad, nad, oxigenio, etc.

Thays disse...

O uso de suplementos alimentares têm crescido principalmente entre os jovens que buscam um corpo perfeito.O uso inadequado do mesmo pode gerar sobrecargas de nutrientes no organismo, causando uma série de complicações à saúde. Além disso, levando em consideração que cerca de 33% dos produtos comercializados são contaminados com substâncias proibidas, outros riscos podem se tornar evidentes, tais como câncer, distúrbios hormonais e psicológicos, e doenças cardíacas.

Os órgãos mais afetados são: o rim, que realiza a filtração do sangue e produz a urina, já que esses suplementos podem elevar a formação de substâncias tóxicas como ureia e amônia; e o fígado, que é o órgão “laboratório” do corpo, local onde todos os compostos químicos passam, e o excesso desse contato pode inflamá-lo.